quarta-feira, 12 de junho de 2019

Nicolas Fabris foi destaque no Sul-Americano de Kart em semana de estreia de novos patrocinadores

0 comentários
Foto: Bruno Gorski
Motul e Filtralub passam a apoiar a carreira do piloto paulista no kartismo brasileiro

O Kartódromo Velopark, em Nova Santa Rita, na região metropolitana de Porto Alegre (RS), foi palco para a mais importante competição do kartismo na América do Sul entre os dias 29 de maio e 1º de junho. Divididos em quatro categorias, mais de 120 pilotos de oito países disputaram o Campeonato Sul-Americano de Kart, dentre os quais estava Nicolas Fabris (Motul | Filtralub), que integrou com destaque o grid da Codasur Júnior.

Alternando as condições de pista entre molhada, intermediária e seca, o Kartódromo Velopark proporcionou lindas e rigorosas disputas pelo título máximo do kartismo no continente. Fabris teve belo desempenho desde os primeiros treinos oficiais, o que culminou com a conquista do quarto lugar no grid de largada, composto por 24 pilotos.

Na primeira prova classificatória Nicolas Fabris terminou em 3º, de onde largou para a segunda. Nesta, depois de assumir a segunda posição, o piloto da equipe Roda Motors perdeu rendimento e terminou em 8º. “A pista já estava secando e trabalhamos com um ‘setup’ para esta condição. Mas a chuva voltou e então não foi possível manter o mesmo rendimento”, conta Nicolas Fabris (Motul | Filtralub).

Largando em sétimo na Pré-final após a soma dos pontos conquistados nas classificatórias, Nicolas Fabris voltou a se destacar e terminou em 4º, de onde largaria para a prova decisiva, cujo vencedor seria o novo campeão sul-americano. Com uma largada excelente, Fabris assumiu a liderança ainda na primeira volta e a manteve por alguns giros. “Foram voltas difíceis, pois meu motor falhava em alguns trechos da pista. Depois da prova constatamos que a palheta estava quebrada. Faz parte, mesmo assim estou muito feliz pelo meu desempenho, pude ser competitivo e tive chances de lutar pelo título”, analisa Nicolas Fabris.

Em função da quebra da palheta, Nicolas Fabris foi forçado a abandonar a prova decisiva após completar sete das 17 voltas previstas. “Foi uma experiência muito boa, um campeonato fantástico, que reuniu os melhores pilotos da América do Sul. Estivemos sempre muito rápidos, mas o abandono é algo que acontece, nem sempre tudo dá certo”, diz Nicolas Fabris. “Agradeço a Motul e a Filtralub, que passaram a me apoiar nesta temporada a partir do Sul-Americano. Darei o meu máximo na pista para retribuir a confiança que estas duas empresas depositaram em mim”, completa.

KG COM Assessoria de Comunicação

Deixe seu comentário