terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Moto 1000 GP: Hajjar estreia com vitória e Nunes é campeão da GP Light

0 comentários
Foto: William Inácio
GP Lubrax revela o quinto vencedor da categoria na temporada de 2015 e confirma paranaense do Team Suzuki-PRT como campeão brasileiro

O quinto lugar no GP Lubrax valeu a Rafael Nunes, neste domingo (29), o título da categoria GP Light no Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. O piloto paranaense do Team Suzuki-PRT liderou a temporada de 2015 do Moto 1000 GP desde a primeira etapa e sacramentou a conquista no Autódromo Internacional de Curitiba. A prova que encerrou a disputa marcou a estreia com vitória do também paranaense Sharbel el Hajjar, da Tom Racing.

“Eu me preparei o ano todo para esta corrida”, exultou el Hajjar. Piloto de automobilismo por quase 20 anos, ele estreou na motovelocidade em 2015. “A perspectiva de competir aqui no ano que vem é bem positiva”, confirmou. Ele dividiu o pódio do GP Lubrax com dois pilotos catarinenses – Diogo Ramos, da SBK Moto Racing, que terminou em segundo e obteve seu melhor resultado no Moto 1000 GP, e Jean Vieira, da MS Racing Team, o terceiro.

Rafael Nunes chegou ao título com três vitórias, dois segundos, um quarto, um quinto e um sexto lugar nas oito etapas realizadas. A campanha o levou a 145 pontos, 12 a mais que o gaúcho Marcelo Dahmer, que terminou em sétimo lugar e foi vice-campeão no ano de estreia pela K Racing. O brasiliense Henrique Castro, da City Service BSB Motor Racing, foi sexto na corrida e terminou o campeonato em terceiro lugar pelo terceiro ano consecutivo.

Cinco pilotos conquistaram vitórias na GP Light em 2015. Nunes ganhou a primeira e a quinta etapa, realizadas em Curitiba, e a terceira, em Goiânia. Dahmer venceu a quarta, em Campo Grande, e a sétima, em Santa Cruz do Sul. Castro venceu a sexta corrida, em Goiânia, e Hajjar ganhou em Curitiba. Antes de Nunes, de 2011 até o ano passado a GP Light teve como campeões Eduardo Costa Neto, Lucas Barros, Renato Andreghetto e Nicolas Tortone.

A CORRIDA
Estreando no Moto 1000 GP, Sharbel el Hajjar largou em quinto lugar e assumiu a liderança logo após a largada, que foi marcada pelo acidente entre os também paranaenses Helison Chin e Alex Godói – ambos abandonaram a corrida depois do toque que resultou na dupla queda na primeira curva. Vice-líder do campeonato, o gaúcho Marcelo Dahmer largou em 12º e completou em quinto lugar a primeira volta do GP Lubrax.

Rafael Nunes, em vantagem na liderança do campeonato, manteve com alguma tranquilidade a segunda posição que ocupou no grid de largada. Diogo Ramos tentou a ultrapassagem sobre Nunes na abertura da terceira volta, em disputa da qual Jean Vieira passou a tomar parte logo na volta seguinte. Hajjar ampliava sua vantagem na liderança enquanto Ramos, na abertura da sexta volta, tomava de Nunes a vice-liderança da corrida.

Dahmer, sem conseguir o extrair bom rendimento de sua moto, perdia posições gradativamente. Quando a corrida chegou à metade, já havia caído à nona colocação, insuficiente para manter suas pretensões de ser campeão do Moto 1000 GP no ano de estreia. Vieira exercia forte pressão sobre Nunes em busca de cumprir o objetivo de conquistar seu quarto pódio na temporada – a ultrapassagem aconteceu na abertura da 13ª volta.

Nunes perdeu também a quarta colocação, na abertura da penúltima volta, quando foi superado pelo paulista Ricardo Negretto na frenagem ao fim da reta dos boxes.


GP LUBRAX – CATEGORIA GP LIGHT
(Resultado final em Curitiba após 16 voltas)
1º) Sharbel el Hajjar (PR/Kawasaki), Tom Racing, 22min29s323
2º) Diogo Ramos (SC/Kawasaki), SBK Moto Racing, a 8s710
3º) Jean Vieira (SC/Kawasaki), MS Racing Team, a 12s215
4º) Ricardo Negretto (SP/Kawasaki), Tecfil Racing Team, a 12s394
5º) Rafael Nunes (PR/Suzuki), Team Suzuki-PRT, a 15s445
6º) Henrique Castro (DF/Kawasaki), City Service BSB Motor Racing, a 28s932
7º) Marcelo Dahmer (RS/Kawasaki), K Racing, a 36s371
8º) Pablo Nunes (SC/Kawasaki), SBK Moto Racing, a 54s408
9º) Edson Luiz (SC/Kawasaki), 2MT-PRT, a 54s893
10º) Maurício Paludete (SP/BMW), Sport Plus Racing, a 55s594
11º) Erlon Franco (MS/Kawasaki), Target Race Superbike Team, a 58s930
12º) Pedro Lins (RJ/Honda), Center Moto Racing Team, a 59s582
13º) Alexis Hay (PR/Kawasaki), Moto 3 Racing Team, a 1min13s584
14º) Luciano Donato (SP/BMW), BMW Motorrad Petronas Racing, a 1min17s990
15º) Gilbert Paz (PR/Kawasaki), Moto 3 Racing Team, a 1 volta
16º) Marcos Ramalho (PR/Kawasaki), 2MT-PRT, a 1 volta
17º) Gian Filippis (SP/Kawasaki), Tecfil Racing Team, a 1 volta
18º) Iberson Thiago (SP/Kawasaki), Tecfil Racing Team, a 1 volta
19º) Danilo Berto (SP/Ducati), DRT-Ducati, a 1 volta
20º) Marcelo Skaf (SP/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil/Usatec BSB Team, a 3 voltas
21º) Ueber Torres (PR/Kawasaki), Moto 3 Racing Team, a 4 voltas
NÃO COMPLETARAM
Marlon Verdi (RS/Honda), K Racing, a 5 voltas
Wagner Ettinger (SP/Kawasaki), Paulinho Superbikes, a 12 voltas
Helison Chin (PR/Kawasaki), Moto 3 Racing Team, a 16 voltas
Alexandre Godói (PR/Kawasaki), Grinjets, a 16 voltas
NÃO LARGOU
Du Rodrigues (SP/Ducati), DRT
Melhor volta: Ramos, na 6ª, 1min23s324, média de 159,642km/h

CLASSIFICAÇÃO
A classificação final do campeonato, já computado o descarte obrigatório de um resultado por piloto, é: 1º) Rafael Nunes, 145 pontos; 2º) Marcelo Dahmer, 133; 3º) Henrique Castro, 109; 4º) Jean Vieira, 104; 5º) Diogo Ramos, 85; 6º) Ricardo Negretto, 45; 7º) Edson Luiz, 43; 8º) Erlon Franco, 42; 9º) Pedro Lins e Marcos Ramalho, 39; 11º) Ricardo Levy, 36; 12º) Márcio Pereira, 33; 13º) Marcelo Skaf, 31; 14º) Pablo Nunes, 30; 15º) Luciano Donato, 25.

As motocicletas do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade utilizam a gasolina Petrobras Podium e o lubrificante Lubrax Tecno Moto. A Petrobras e a Lubrax patrocinam a competição ao lado da Michelin, que fornece seus pneus de competição a todas as equipes inscritas. O Moto 1000 GP também conta em 2015 com o apoio de Beta Ferramentas, MSR Macacões Personalizados, Puig, Servitec, LeoVince, Shoei e Tutto Moto.

Grelak Comunicação
(45) 3037-6667

Deixe seu comentário