terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Após acompanhar final da Nascar nos EUA, Felipe Bartz faz balanço positivo de sua temporada no kart

0 comentários
Foto: Divulgação
Piloto de 10 anos é grande fã de Jeff Gordon, e pôde acompanhar de perto a corrida de aposentadoria do tetracampeão. Vice-campeão do Florida Winter Tour, Bartz estreou na categoria Mini-Max a partir do meio do ano na Copa São Paulo, e vai em busca do título da categoria em 2016

A temporada 2015 está chegando ao fim, e o piloto Felipe Bartz tem muitos motivos para comemorar, neste que foi seu terceiro ano competindo regularmente no kart. O paulista de 10 anos, sobrinho de Rubens Barrichello, começou o ano com o título de vice-campeão do Florida Winter Tour, um dos principais campeonatos dos Estados Unidos. No Brasil, Felipe iniciou o ano correndo na categoria Micro-Max Rotax, onde era o atual campeão da Copa São Paulo, mas a partir da quarta etapa, de um total de 10 do campeonato, o piloto subiu para a categoria Mini-Max Rotax, iniciando assim um novo desafio.

A ascensão de categoria aconteceu no momento em que Rogerio Raucci, um dos maiores incentivadores do automobilismo nacional, convidou Felipe para andar em sua equipe, a R&R Racing Team. Responsável pelo desenvolvimento dos pilotos na R&R, Renato Russo, um dos mais vitoriosos e experientes pilotos do kart brasileiro, foi muito importante no crescimento de Felipe nesse ano. Principalmente no segundo semestre, Bartz foi um dos grandes destaques, subindo ao pódio em todas as cinco etapas realizadas nesse período, incluindo duas vitórias na Mini-Max Rookie, destinada aos estreantes.

O piloto também participou de outras duas corridas da Rok Cup nos Estados Unidos, onde teve bons desempenhos, ficando em 3º lugar na etapa de Orlando, entre 38 pilotos. Felipe ainda tem mais um compromisso neste ano, e vai correr novamente no Orlando Kart Center no dia 19/12, em uma prova regional.

"Foi um ano muito bom para mim, cheio de novos desafios, e bons resultados. No Florida Winter Tour, o título ficou muito perto, mas escapou por uma infelicidade, já que cometemos um erro no set-up do kart na pré-final, e isso nos obrigou a largar em último na grande final em Ocala. Na Copa São Paulo, subi de categoria e mudei de equipe, o que foi muito importante para mim, pois aprendi bastante com o Russo nesse ano e já conquistei alguns pódios e até vitórias na Mini-Max Rookie. Ficou claro que sou rápido, mas sei que ainda falta um pouco de experiência, então é nisso que vamos trabalhar para podermos brigar pelo título no ano que vem", disse Bartz.

Para 2016, os planos do piloto, que é apoiado pela Nutty Bavarian, MG Pneus, Dolly e TECPRO Blindagens, são de disputar novamente o Florida Winter Tour e de brigar pelo título da Copa São Paulo em sua nova categoria.

Experiência única

Se dentro das pistas Felipe teve um ano muito bom, fora delas o jovem piloto também viveu uma experiência especial recentemente. Grande fã do piloto norte-americano Jeff Gordon - tetracampeão da Nascar e um dos concorrentes ao título que foi decidido no domingo (22) -, Bartz acompanhou de perto a etapa final da categoria, em Homestead, Miami.

Felipe já tinha tido a oportunidade de conhecer Gordon em 2010, quando tinha apenas cinco anos, e nesse novo encontro foi reconhecido pelo piloto, que ainda perguntou como estão as corridas do brasileiro, mesmo em meio a toda a agitação da prova, que marcou sua aposentadoria da Nascar após 24 temporadas.

"Acompanhar a última corrida do Jeff Gordon em Homestead foi muito especial, estava torcendo muito para ele ganhar! Ele já tinha sido bem atencioso quando o conheci em 2010, e agora foi legal, porque ele me reconheceu e perguntou como estavam minhas corridas. Nunca vou esquecer esse fim de semana!! Estou triste porque ele decidiu parar, mas acho que entendo, porque depois de tantos anos e títulos, ele pode estar um pouco cansado, ainda mais porque na Nascar tem corridas quase todos os finais de semana do ano", comentou Felipe Bartz.

Deixe seu comentário