sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Campeões enaltecem prestígio da Cascavel de Ouro no automobilismo brasileiro

0 comentários
Foto: Divulgação
História quase cinquentenária da corrida contempla 28 pilotos vencendo ao menos uma vez. Oito deles são cascavelenses

Perto de completar 50 anos de história, a Cascavel de Ouro firma-se na relação das provas mais importantes e prestigiosas do automobilismo nacional. É o que dizem alguns dos pilotos integrantes da galeria de campeões da prova, que terá sua 29ª edição neste domingo (25) no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel. Desde a primeira edição, em 1967, 27 pilotos venceram a prova em atuações individuais, em duplas ou em trios.

Nelson Piquet, em termos desportivos, é o mais ilustre dos vencedores da Cascavel de Ouro, que venceu em 1976 pelo Brasileiro de Super Vê. “Não ganhei duas vezes, não?”, pergunta, bem-humorado, citando a primeira vitória que obteve na categoria, em 1974, também em Cascavel. O resultado levou-o de volta a Cascavel duas vezes, uma antes e outra depois das 14 temporadas que disputou na Fórmula 1, conquistando três títulos mundiais.

“Quando ganhei em 1976 o troféu ficou na oficina do meu preparador”, conta Piquet – o preparador de seu carro na Super Vê era Gilberto Magalhães, o “Giba”. Em 1992, o então prefeito cascavelense Salazar Barreiros providenciou uma réplica fiel do troféu, entregue a Piquet no autódromo durante a Cascavel de Ouro, que consistiu na etapa final do Sul-Americano de Fórmula 3. “Foi legal voltar lá. Não dava para ganhar a Cascavel de Ouro e ficar sem ela, né?”.

A edição de 1992 foi vencida por outro brasiliense, Constantino Júnior, com um Ralt/Mugen-Honda. “Sem exageros, a conquista da Cascavel de Ouro foi uma das mais marcantes da minha vida nas pistas. O Nelson Piquet estava em Cascavel e, quando venci, ele entrou no rádio e disse ‘você é um tremendo bota!’. Eu estava começando, aquelas palavras foram muito motivadoras”, diz o piloto, que em 2015 busca seu terceiro título no Porsche GT3 Cup.

Chiquinho Lameirão, reconhecido como um dos principais vitoriosos do automobilismo nacional na década de 70, inscreveu seu nome na galeria de campeões da Cascavel de Ouro em 1973, quando levou um protótipo Avallone à vitória. “Na época era uma corrida de tiro curto, meia hora ou no máximo quarenta minutos. Fiz a pole position, fiz a melhor volta e ganhei a corrida, que tinha uma premiação específica, a Cascavel de Ouro”, recorda.

As máquinas que compunham o grid permanecem nítidas na memória de Lameirão, hoje aos 72 anios. “Alguns tinham os carros Avallone, como eu, o Artur Bragantini, o Antonio Carlos Avallone. Tinha um Avallone da Ford, uma Alfa P33 com motor do Maverick, Polar, Heve, Manta... Nessa prova o Avallone pulou à frente na largada, dividimos a primeira curva e ele ficou ali mesmo”, descreve o paulista, que competiu profissionalmente entre 1962 e 1977.

A conquista de Lameirão foi contemporânea das três vitórias de Pedro Muffato na Cascavel de Ouro. Na época em que exerceu mandados políticos na cidade como vereador e prefeito, Muffato ganhou em 1971 com um Puma Spartano, em 1974 e em 1975, com um Avallone. Ele manteve-se recordista até 1994, quando Edgar Favarin ganhou pela quarta vez. Muffato participou pela última vez em 2005, em dupla com seu sobrinho César Chimin.

Antonio Espolador, de Curitiba, conquistou em 1997 sua única vitória na Cascavel de Ouro, formando dupla com Emílio Weiss. Ainda em atividade nas competições, Espolador não participa neste ano por conta de um compromisso social: será padrinho de um casamento na véspera da corrida. “Ganhei a última edição do formato com handicap para várias categorias, integrar uma galeria tão seleta é especial. Farei o possível para participar em 2016”, antecipa.

Um dos oito cascavelenses campeões é Milton Serralheiro. Ele disputou cinco edições de 1990 a 1996 com vários tipos de carros – ganhou em 1991, com um Gol, em dupla com Edgar Favarin. “Tive quatro convites para correr neste ano, e a ideia até que me agradou, porque o regulamento de agora vai pôr muitos carros com chance de ganhar. Mas parei de correr há tanto tempo que achei melhor deixar para a próxima”, diz o ex-piloto, hoje aos 58 anos.

Edgar Favarin, Pedro Muffato e Milton Serralheiro integram um seleto grupo de pilotos. Além deles, apenas outros cinco cascavelenses conquistaram vitórias na Cascavel de Ouro. Saul Caús, Ruy Chemin, Flávio Poersch, David Muffato e Aloysio Ludwig Neto – os dois últimos estarão na pista na corrida de domingo, que terá largada às 14h e duração de quatro horas. Os vencedores serão premiados com um automóvel Renault Clio zero quilômetro.

GALERIA DE CAMPEÕES DA CASCAVEL DE OURO*
1967 – Rodolfo Scherner/Bruno Castilho (Laranjeiras do Sul/Curitiba), Simca
1970 – Sérgio Valente Withers (Curitiba), Volkswagen Divisão 5
1971 – Pedro Muffato (Cascavel), VW Puma Spartano
1973 – Francisco Lameirão (São Paulo), protótipo Avallone
1974 – Pedro Muffato (Cascavel), protótipo Avallone
1975 – Pedro Muffato (Cascavel), protótipo Avallone
1976 – Nelson Piquet (Brasília), Super Vê
1980 – Marcos da Silva Ramos (Curitiba), GM Chevette
1982 – Aroldo Bauermann (Porto Alegre), Fórmula 2
1983 – Edgar Favarin (Cascavel), VW Fusca
1984 – Cláudio Elbano (Curitiba), VW Passat
1985 – Saul Mário Caús (Cascavel), GM Opala
1986 – Dilso Sperafico (Toledo), Hot-Fusca
1987 – Aloysio Ludwig Neto (Cascavel), Dodge RT
1988 – Ruy Chemin (Cascavel), Dodge RT
1989 – Marcos Corso (Curitiba), VW Passat
1990 – Edgar Favarin/Clênio Faust (Cascavel/Francisco Beltrão), VW Passat
1991 – Edgar Favarin/Milton Serralheiro (Cascavel), VW Gol
1992 – Constantino Júnior (Brasília), March-Honda Fórmula 3
1993 – Cláudio Girotto/Lourenço Barbatto (São Paulo), protótipo Aldee
1994 – Edgar Favarin/David Muffato/Gilson Reikdall (Cascavel/Cascavel/Curitiba), protótipo Aldee
1996 – Edgar Favarin/Valmor Emílio Weiss (Cascavel/Curitiba), VW Gol
1997 – Valmor Emílio Weiss/Antônio Espolador (Curitiba), VW Gol
2003 – Flávio Poersch/Aloysio Ludwig Neto (Cascavel), VW Voyage
2004 – David Muffato/Ruy Chemin (Cascavel), Ford Escort
2005 – Edgar Favarin/Flavio Poersch (Cascavel), Ford Escort
2012 – Paulo Bonifácio/Sérgio Jimenez (São Paulo/Piedade), Mercedes-Benz SLS AMG
2014 – Edgar Favarin/Valmor Emílio Weiss (Cascavel/Curitiba), VW Gol

* Em 1991, a Cascavel de Ouro premiou também os vencedores de cada categoria. Além de Edgar Favarin e Milton Serralheiro, campeões na classificação geral, foram declarados vencedores Flávio Trindade/Beto Richa (Força Livre), Jair Bana (Speed Fusca), Gilnei Faoro/Dimas Moreira (Dodge) e Mauro Turcatel/André Costi Filho (Maverick).

Grelak Comunicação
(45) 3037-6667

Deixe seu comentário