terça-feira, 29 de setembro de 2015

Henrique Castro vence a primeira no ano e se aproxima dos líderes da GP Light

0 comentários
Foto: Rodrigo Ruiz
Brasiliense obtém em Goiânia sua quarta vitória no Moto 1000 GP. Rafa Nunes é segundo e pódio acolhe o pole Skaf após notável recuperação

A sexta etapa da temporada de 2015 do Moto 1000 GP brindou o público presente ao Autódromo Internacional de Goiânia com a vitória de um piloto do Centro-Oeste do país na categoria GP Light. Henrique Castro, brasiliense da City Service BSB Motor Racing, conduziu a Kawasaki número 88 ao primeiro lugar depois de largar em terceiro e assumir a liderança na terceira das 14 voltas da corrida disputada na manhã deste domingo (27).

Foi a quarta vitória de Castro no Moto 1000 GP. Ele venceu a sétima e antepenúltima corrida de 2013, em Campo Grande, e duas corridas de 2014, em São Paulo e em Goiânia. No GP Goiânia, dividiu o pódio com o paranaense Rafa Nunes, do Team Suzuki-PRT, segundo colocado, e o paulista Marcelo Skaf, terceiro com a Kawasaki da Motonil Motors-PDV Brasil/Usatec BSB Team depois de largar da pole position e cair para décimo.

Nunes ampliou sua vantagem na liderança do campeonato de 21 para 28 pontos sobre o gaúcho Marcelo Dahmer, que terminou a corrida em quarto com a Honda da K Racing. Castro segue em terceiro lugar na classificação do Moto 1000 GP. Sua desvantagem em relação ao líder Nunes na tabela caiu de 47 para 41 pontos. No confronto direto com o vice-líder Dahmer, essa diferença diminuiu exatamente à metade, de 26 para 13 pontos.

Quatro pilotos finalizaram o GP Goiânia com chances matemáticas de conquista do título do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade na GP Light. Além de Nunes, Dahmer e Castro, o catarinense Jean Vieira, sétimo colocado na corrida deste domingo com a Kawasaki da MS Racing Team, segue na luta pela taça. A sétima e penúltima etapa da temporada de 2015 será disputada no dia 25 de outubro no circuito gaúcho de Santa Cruz do Sul.

A CORRIDA
O destaque da largada ficou por conta de Marcelo Dahmer, que tinha a nona posição no grid e assumiu a liderança antes da primeira curva de corrida. Marcelo Skaf, o pole position, caiu para décimo. Rafa Nunes e Henrique Castro mantiveram os segundo e terceiro lugares que ocupavam no grid. Outro que conseguiu ganhar posições na largada foi Diogo Ramos, que saltou de sétimo para quarto. Skaf fechou a primeira volta em oitavo lugar.

Castro assumiu o segundo lugar ultrapassando Nunes na abertura da terceira volta e passou a pressionar Dahmer, assumindo a liderança superando o piloto gaúcho sobre a linha de chegada, no complemento da volta. Depois de quatro voltas, enquanto Castro abria 0s796 sobre de vantagem Dahmer, Skaf mantinha sua recuperação e se apresentava em sexto, em posição de ataque sobre Marcello Souza, o quinto, e Diogo Ramos, o quarto.

Souza saiu da pista na sexta volta e conseguiu evitar a queda, mas caiu de quinto para oitavo na classificação da corrida. Na sexta volta, Castro marcou pela terceira vez consecutiva a volta mais rápida da corrida. Nunes, na abertura da sétima passagem, assumiu a linha interna do traçado na reta dos boxes e ultrapassou Dahmer, assumindo o segundo lugar. Foi Nunes, na sétima volta, já na vice-liderança, quem assinalava a melhor volta do GP Goiânia.

A prova chegou à segunda metade com os pilotos passando a enfrentar os efeitos dos desgastes de pneus sob o calor goiano de 34 graus. Alheio às saídas de pista no pelotão intermediário, Castro voltou a cronometrar o melhor tempo de volta da etapa, 3s536 à frente do vice-líder Nunes. Diogo Ramos, na décima volta, perdeu a tangência ideal da curva do Bico de Pato e foi superado por Skaf, que surgia a três segundos de uma posição no pódio.

Ricardo Negretto, que ocupava a quinta posição na penúltima volta, saiu da pista e perdeu o quinto lugar para Ramos. Edson Luiz sofreu uma queda e abandonou. Skaf se aproximou de Dahmer e abriu a última volta lado a lado com o gaúcho, consumando a ultrapassagem que lhe valeu a terceira posição. Castro, representante do Centro-Oeste, cruzou a linha de chegada quase sete segundos à frente de Nunes. Skaf ficou em terceiro.

GP GOIÂNIA – RESULTADO FINAL DA GP LIGHT
(Classificação final da corrida após 14 voltas)
1º) Henrique Castro (DF/Kawasaki), City Service BSB Motor Racing, 20min46s650
2º) Rafael Nunes (PR/Suzuki), Team Suzuki-PRT, a 6s961
3º) Marcelo Skaf (SP/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil/Usatec BSB Team, a 15ª215
4º) Marcelo Dahmer (RS/Honda), K Racing, a 17s368
5º) Ricardo Negretto (SP/Kawasaki), Tecfil Racing Team, a 18s320
6º) Diogo Ramos (SC/Kawasaki), SBK Moto Racing, a 21s954
7º) Jean Vieira (SC/Kawasaki), MS Racing Team, a 26s718
8º) Pedro Lins (RJ/Honda), Center Moto Racing Team, a 39s873
9º) Marcello Souza (SP/Kawasaki), JC Racing Team, a 40s141
10º) Erlon Franco (MS/Kawasaki), Target Race Superbike Team, a 40s441
11º) Márcio Pereira (SC/BMW), MS Racing Team, a 47s030
12º) Pablo Nunes (SC/Kawasaki), SBK Moto Racing, a 55s826
13º) Wagner Ettinger (SP/Kawasaki), Paulinho Superbikes, a 1min01s568
14º) Luciano Donato (SP/BMW), BMW Motorrad Petronas Racing, a 1min07s397
15º) Guilherme Calixto (GO/Ducati), DRT-Ducati, a 1 volta
16º) Danilo Berto (SP/Ducati), DRT-Ducati, a 1 volta
NÃO COMPLETARAM
Edson Luiz (SC/Kawasaki), 2MT-PRT, a 2 voltas
Marcos Ramalho (PR/Kawasaki), 2MT-PRT, a 5 voltas
Wellison Rocha (SP/Kawasaki), Target Race Superbike Team, a 9 voltas
Melhor volta: Castro, na 9ª, 1min27s886, média de 157,126 km/h
(Resultado extraoficial, sujeito a alterações a partir das análises dos comissários técnicos e desportivos da etapa)

CLASSIFICAÇÃO
A classificação da categoria GP Light após a realização de seis etapas do Moto 1000 GP é esta: 1º) Rafa Nunes, 134 pontos; 2º) Marcelo Dahmer, 106; 3º) Henrique Castro, 93; 4º) Jean Vieira, 68; 5º) Diogo Ramos, 53; 6º) Ricardo Negretto, 40; 7º) Ricardo Levy, 36; 8º) Pedro Lins, 35; 9º) Marcos Ramalho e Márcio Pereira, 33; 11º) Edson Luiz e Erlon Franco, 28; 13º) Luciano Donato, 18; 14º) Marcelo Skaf, 17; 15º) Marcello Souza, 16.
As motocicletas do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade utilizam a gasolina Petrobras Podium e o lubrificante Lubrax Tecno Moto. A Petrobras e a Lubrax patrocinam a competição ao lado da Michelin, que fornece seus pneus de competição a todas as equipes inscritas. O Moto 1000 GP também conta em 2015 com o apoio de Beta Ferramentas, MSR Macacões Personalizados, Puig, Servitec, LeoVince, Shoei e Tutto Moto.

Grelak Comunicação
(45) 3037-6667

Deixe seu comentário