terça-feira, 29 de setembro de 2015

Granado conquista primeiro título da Honda na categoria GP 600 do Moto 1000 GP

0 comentários
Foto: William Inácio
Piloto paulista comemora no GP Goiânia sexta vitória consecutiva e torna-se campeão brasileiro com duas etapas de antecipação

Eric Granado é o primeiro campeão do Moto 1000 GP em 2015. Aos 19 anos, o piloto paulista da GST Honda Mobil Super Moto venceu neste domingo (27) a prova da categoria GP 600 no GP Goiânia, sexta e antepenúltima etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, e assegurou o título duas provas antes do término da temporada, que terá sequência no dia 25 de outubro com a sétima etapa no Autódromo Internacional de Santa Cruz do Sul.

O título conquistado por Granado foi o primeiro da Honda na GP 600. A categoria foi implantada em 2012, ano em que o paulista André Veríssimo foi o campeão com a Yamaha da MG Bikes – a marca e a equipe seriam campeãs novamente no ano passado, com o piloto uruguaio Maximiliano Gerardo. Em 2013, o campeão brasileiro da GP 600 foi Rafael Bertagnolli, piloto gaúcho que competiu com a Kawasaki da equipe brasiliense BSB Motor Racing.

“Eu consegui um ritmo bom do equipamento e vinha virando tempos de volta muito constantes. Aí tomei uns dois ou três sustos seguidos com o tráfego e aliviei um pouco, era mais seguro conter o ritmo para garantir o título”, falou o campeão brasileiro. “Agora quero voltar para a Europa e conseguir resultados lá, também, conseguir pódios e pensar em título para o ano que vem”, declarou o paulista, quarto colocado na classificação do Europeu de Moto2.

Com a sexta vitória no Moto 1000 GP, Granado igualou Bertagnoli como recordista de primeiros lugares na categoria GP 600. As 30 corridas realizadas até hoje pela categoria GP 600 revelaram oito vencedores. Os demais foram Gerardo, com cinco primeiros lugares; o argentino Adrian Silveira, com quatro; os também argentinos Juan Solorza e Sergio Fasci, com três, cada; Veríssimo, com duas; e Joelsu Mitiko, com uma.

Na categoria GP 600 Evo, destinada a pilotos que têm suas carreiras em fase de ascensão e consolidação, Flávio Pavanelli conquistou sua segunda vitória consecutiva. O paulista da Motonil Motors-PDV Brasil/Usatec BSB Team assumiu a vice-liderança do Moto 1000 GP. Júlio Fortunato, também piloto de uma Kawasaki, foi segundo colocado pela Sport Plus Racing. O paranaense Márcio Bortolini, com a Honda da City Service BSB Motor Racing, foi terceiro.

A CORRIDA
Dada a largada, Eric Granado manteve-se na liderança. Terceiro no grid, Lucas Bittencourt ultrapassou Matheus Oliveira para assumir o segundo lugar. Outra mudança de posição na largada ocorreu na quarta posição, conquistada por Davi Costa com a ultrapassagem sobre Joelsu Mitiko, que decidiu competir mesmo recuperando-se de uma fratura sofrida na perna quatro semanas antes em um acidente durante os treinos para a etapa de Curitiba.
No complemento da quinta volta, Granado já abria 9s460 de vantagem sobre Bittencourt, que defendia-se dos ataques de Oliveira. Ao mesmo tempo, Mitiko recuperava a quarta posição ultrapassando Costa na reta dos boxes. Na classificação da categoria GP 600 Evo, o estreante goiano Leopoldo Bittar, que liderou as primeiras voltas, figurava em terceiro lugar, atrás de Márcio Bortolini e Flávio Pavanelli – eram sétimo, oitavo e nono no resultado geral.

Na sexta volta Granado estabeleceu o recorde oficial do circuito goiano para a categoria GP 600, cronometrando a volta mais rápida da corrida: atingiu 158,172 km/h de média, cronometrando 1min27s265. A abertura da nona volta marcou a recuperação da vice-liderança da corrida por Oliveira, que retardou a frenagem ao fim da reta dos boxes e assumiu a linha interna para ultrapassar Bittencourt. Granado, a essa altura, já tinha 18s045 de vantagem.

A GP 600 Evo apresentava trocas de posição constantes ao público e, a três voltas do fim do GP Goiânia, a liderança era de Pavanelli, que tinha Júlio Fortunato em segundo e Bittar em terceiro. Na classificação geral, a margem de Granado era de 24s079 sobre Oliveira, que já se acomodava em segundo com 2s279 de dianteira sobre Bittencourt. O quinto lugar foi definido na última volta, com a ultrapassagem de Sérgio Laurentys sobre Davi Costa.

GP GOIÂNIA – RESULTADO FINAL DA GP 600
(Classificação final da corrida após 14 voltas)
1º) Eric Granado (SP/Honda), GST Honda Mobil Super Moto, GP 600, 20min35s703
2º) Matheus Oliveira (SP/Kawasaki), Tecfil Racing Team, GP 600, a 24s851
3º) Lucas Bittencourt (PR/Kawasaki), Paulinho Superbikes, GP 600, a 26s197
4º) Joelsu Mitiko (PR/Kawasaki), Paulinho Superbikes, GP 600, a 47s204
5º) Sérgio Laurentys (SP/Honda), GST Honda Mobil Super Moto, GP 600, a 55s630
6º) Davi Costa (SP/Kawasaki), JC Racing Team, GP 600, a 55s776
7º) Marcus Trotta (SP/Yamaha), Motom, GP 600, a 1min08s826
8º) Flávio Pavanelli (SP/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil /Usatec BSB Team, GP 600 Evo, a 1min09s598
9º) Júlio Fortunato (SP/Kawasaki), Sport Plus Racing, GP 600 Evo, a 1min18s485
10º) Márcio Bortolini (PR/Honda), City Service BSB Motor Racing, GP 600 Evo, a 1min20s143
11º) Leopoldo Bittar (GO/Kawasaki), Masut Racing Team, GP 600 Evo, a 1min23s454
12º) Breno Pinto (AP/Yamaha), 2MT-PRT, GP 600 Evo, a 1 volta
13º) Victor Luciano (SP/Kawasaki), Walmax Racing, GP 600 Evo, a 1 volta
14º) Juninho Garcia (SP/Kawasaki), JR Motos, GP 600 Evo, a 1 volta
15º) Sérgio Prates (SP/Kawasaki), JC Racing Team, GP 600 Evo, a 1 volta
NÃO COMPLETARAM
Marcos Fortunato (SP/Kawasaki), Sport Plus Racing, GP 600 Evo, a 1 volta
Ricardo Juliani (DF/Kawasaki), City Service BSB Motor Racing, GP 600 Evo, a 5 voltas
Ian Testa (DF/Kawasaki), Motonil Motors-PDV Brasil /Usatec BSB Team, GP 600, a 13 voltas
NÃO LARGARAM
Alex Pires (RJ/Honda), Center Moto Racing Team, GP 600
Marciano Santin (RS/Kawasaki), Santin Racing, GP 600 Evo
Marcelo Dias (BA/Honda), 2MT-PRT, GP 600 Evo
Melhor volta: Granado, na 6ª, 1min27s285, média de 158,172 km/h
(Resultado extraoficial, sujeito a alterações a partir das análises dos comissários técnicos e desportivos da etapa)

CLASSIFICAÇÃO

A classificação da GP 600 depois de seis das oito etapas do Moto 1000 GP é a seguinte: 1º) Eric Granado, 161 pontos; 2º) Joelsu Mitiko, 70; 3º) Ian Testa, 62; 4º) Sérgio Laurentys, 57; 5º) Alex Pires, 55; 6º) Lucas Bittencourt, 53; 7º) Marciano Santin, 48; 8º) Juan Solorza, 40; 9º) Matheus Oliveira, 36; 10º) Marcelo Dias, 29; 11º) Davi Costa, 27; 12º) Márcio Bortolini e Flávio Pavanelli, 26; 14º) Júlio Fortunato, 23; 15º) Victor Luciano, 21.

Na GP 600 Evo, com seis disputadas, a classificação do Moto 1000 GP é: 1º) Marciano Santin, 115 pontos; 2º) Flávio Pavanelli, 91; 3º) Marcelo Dias, 69; 4º) Márcio Bortolini, 67; 5º) Júlio Fortunato, 66; 6º) Victor Luciano, 53; 7º) Breno Pinto, 36; 8º) Douglas Pecoraro, 30; 9º) Sérgio Prates, 28; 10º) Marcos Fortunato, 27; 11º) Juninho Garcia, 21; 12º) Juliano Soder, Gregory Alfonso e Rafael Fiorese, 16; 15º) Leopoldo Bittar e Thiago Fonseca, 13.
As motocicletas do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade utilizam a gasolina Petrobras Podium e o lubrificante Lubrax Tecno Moto. A Petrobras e a Lubrax patrocinam a competição ao lado da Michelin, que fornece seus pneus de competição a todas as equipes inscritas. O Moto 1000 GP também conta em 2015 com o apoio de Beta Ferramentas, MSR Macacões Personalizados, Puig, Servitec, LeoVince, Shoei e Tutto Moto.

Deixe seu comentário