quinta-feira, 2 de julho de 2015

Brasileiro de Rally Baja: Desafio agora é no temível Jalapão

0 comentários
Foto: Sanderson Pereira
O caçula Bruno (Production) e o mais velho Rodrigo (Pró) lideram campeonato brasileiro em suas classes. Campeão nos Quadriciclos, o irmão do meio Gabriel Varela (Super Production) é terceiro.

Uma das mais difíceis prova da história do Rally Baja no Brasil será disputada neste sábado (04/7) no temível deserto do Jalapão, em Tocantins. Afinal, pilotos de Motos, Quadricíclos e UTVs vão percorrer em alta velocidade 626 km em apenas um dia, sem ajuda de planilha e navegador, e passando pelos mais inóspitos terrenos do Centro-Oeste brasileiro. O Rally Baja Jalapão 500 será válido pelas 7ª e 8ª etapas do Campeonato Brasileiro de Rally Baja, começando às 5h30 na Praia da Graciosa, para terminar no final da tarde no mesmo local em Palmas.

"Será uma experiência diferente, nova, muito legal. Todos os pilotos estão com uma expectativa gigante. Será o maior Baja feito no Brasil, ou seja, a maior corrida sem planilha e sem navegador em linha reta", observou Rodrigo Varela (Can-Am/Blindarte), vencedor com Can-Am Maverick XDS 1000 Turbo de cinco das seis etapas já disputadas.

"Como líder do campeonato tenho que saber me poupar. Esta prova vale 50 pontos, então, tenho que andar com cautela para evitar acidentes e quebra que possam anular a minha grande vantagem", explicou o mais velho e experiente dos irmãos da "Família da Poeira", que soma 145 pontos na classe Pró, 32 de vantagem sobre Leandro Torres, o vice-líder, e 47 sobre André Sawaia, o terceiro. "Ao mesmo tempo tenho que andar rápido para terminar entre os primeiros e continuar na frente. Vai ser bem legal este desafio".

Desafio para os novatos

Fazendo as suas primeiras corridas de UTV, mas já demonstrando todo o seu talento e potencial, o irmão caçula de Rodrigo lidera a tabela de classificação da classe de equipamentos originais de fábrica (Production). Com 113 pontos, Bruno Varela (Polaris One/Blindarte) tem 12 pontos de dianteira sobre Rodrigo Cordaro, e 15 à frente de Wander Garcez Ribeiro, que compõe os três primeiros.

"Vai ser a minha primeira corrida longa e a primeira vez que andarei com um passageiro, mesmo não tendo planilha", contou o piloto de apenas 18 anos de idade. Bruno estará testando um piloto de moto e mecânico para ser o seu navegador no Rally dos Sertões e quer ver se ele se adapta ao UTV e às situações da prova, ao mesmo tempo em que vão se entrosando, mesmo que isto prejudique um pouco o seu desempenho nesta etapa dupla e ponha em risco a sua liderança por causa do peso extra.

"Vou nesta prova com bastante cautela, com um ritmo mais lento, pensando como um treino para o Sertões e para terminar sem problemas com o meu Polaris RZR XP 1000", assume.

Muito suor pelo roteiro e calor

Campeão dos dois certames brasileiros de Quadriciclos, e também dando as suas primeiras aceleradas em UTV, Gabriel Varela (Can-Am/Blindarte) chama a atenção para o desafio desta prova única.

"Vai ser um grande desafio acelerar em 433 km de Especial e depois voltar com mais 190 km de deslocamento, ainda mais no Jalapão. Não é fácil, são horas e horas dentro do UTV. Devemos ficar mais de oito horas dentro do UTV. Então é um desgaste físico imenso para um dia de prova. Além disso, tem a dificuldade de andar sozinho, sem ajuda de navegador, em que o cansaço e a solidão poderão tirar a nossa concentração", comenta o filho do meio de Reinaldo Varela, bicampeão mundial de Rally Cross Country.

"Um desafio bem grande que a gente vai encontrar, não só por causa da variedade de terrenos, com pedras, trial, muita areia, saltos e depressões, mas também por causa da temperatura, pois a região é muito quente, prevista para 35 graus centígrados. Com certeza será um grande teste para o Rally dos Sertões, quando vamos andar de 500 a 600 km por dia", continua o piloto do Can-Am Maverick 1000 XRS.

"Como o Baja Jalapão vai valer pontuação dobrada será a minha chance de conseguir outro bom resultado, chegar nos dois primeiros e subir na tabela de pontuação. Vamos com força total, o meu UTV foi todo revisado, testado e aprovado", confia Gabriel, terceiro colocado na classe Super Production com 109 pontos. O líder é Aristides Mafra Júnior, com 147, seguido de José Hélio Rodrigues Filho, com 122.

A programação de sábado terá largada às 5h30, passará pelas cidades de Ponte Alta e Novo Acordo (TO), e depois de percorrer o maior roteiro já disputado em rali na modalidade Baja no país, com 433 quilômetros de trechos cronometrados, além de 193 quilômetros de deslocamentos, voltará para a Praia da Graciosa, na capital do Tocantins.

Pontuação oficial do Campeonato Brasileiro de Rally Baja após 6 etapas:
Classe Pró - 1) Rodrigo Varela, 145; 2) Leandro Torres, 113; 3) André Sawaia, 98; 4) Rafael Braga Pinho, 92; 5) Renato Martins, 86; 6) Pedro Queirolo, 71.

Classe Super Production - 1) Aristides Mafra Jr., 147 pontos; 2) José Hélio Rodrigues F., 122; 3) Gabriel Varela, 109; 4) Gilberto Mayorga Jr., 103; 5) Richard Carida, 89; 6) Erik Evandro Donatto, 69.

Classe Production - 1) Bruno Varela, 113 pontos; 2) Rodrigo Cordaro, 101; 3) Wander Garcez Ribeiro, 98; 4) Roberto Sampaio e Marcelo Carquejo, 89; 6) André Corrêa e Luiz de Azevedo, 88.

Curta www.facebook.com/DivinoFogaoRallyTeam

Deixe seu comentário