terça-feira, 2 de junho de 2015

Moto 1000 GP: cinco marcas de motos levam pilotos ao pódio no GP Cascavel

0 comentários
Foto: Rodrigo Ruiz
Honda conquista três vitórias na segunda etapa do Brasileiro de Motovelocidade. BMW, Suzuki e Kawasaki também vencem

Pilotos de cinco marcas diferentes de motocicletas freqüentaram o pódio do GP Cascavel, segunda etapa da temporada de 2015 do Moto 1000 GP, que teve suas corridas no último domingo (31) no Autódromo Internacional Zilmar Beux. Cerca de 10.000 espectadores enfrentaram o clima de chuva e frio para acompanhar as provas das categorias integrantes do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade – GP 1000, GP 600, GP Light e GPR 250.

Na categoria GP 1000 o francês Matthieu Lussiana venceu pela segunda vez no ano pela BMW Motorrad Petronas Racing. O argentino Diego Pierluigi, da JC Racing Team, e o paranaense Wesley Gutierrez, da Motonil Motors-PDV Brasil, ambos com motos Kawasaki, foram segundo e terceiro. O paulista Nick Iatauro, do Team Suzuki-PRt, venceu a classe Evo da GP 1000. O paranaense Victor Moura foi ao pódio em segundo com a BMW da M2B Racing.

A GP 600 teve duas Honda no pódio: a do vencedor Eric Granado, paulista da GST Honda Mobil Super Moto, e a do carioca Alex Pires, terceiro pela Center Moto. O argentino Juan Solorza foi segundo com a Yamaha da Solorza. A Honda fez dobradinha na GP 600 Evo: vitória do paranaense Márcio Bortolini, da Mabo, segundo lugar do gaúcho Marciano Santin, da Santin. O paranaense Juliano Soder foi terceiro com a Yamaha da Soder.

O domínio também foi de pilotos de motos Honda na série de formação de pilotos GPR 250. O sul-mato-grossense Brian David, da Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, repetiu a vitória conquistada na etapa de 2014. Ton e Meikon Kawakami, irmãos que disputam o Campeonato Brasileiro de Motovelocidade pela Playstation-PRT, foram segundo e terceiro. O quarto lugar também foi um piloto de Honda: o cearense José Duarte, companheiro de equipe de David.

Estreando no Moto 1000 GP, o paranaense Marcos Ramalho conduziu a Kawasaki da Soder Racing à vitória na GP Light, categoria que utiliza motos com motores de 1.000 cilindradas. O gaúcho Marcelo Dahmer, da K Racing, foi segundo, à frente do catarinense Jean Vieira, com a Kawasaki da MS Racing Team. A terceira etapa do Brasileiro de Motovelocidade terá suas corridas no dia 28 de junho no Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Goiânia.

“Tivemos uma disputa intensa pelos três lugares em cada pódio. A pista de Cascavel sempre proporciona grandes corridas e essa disputa acontece não só entre os três primeiros, mas em todos os pelotões”, observa o promotor do Moto 1000 GP, Gilson Scudeler. “A nossa etapa de domingo não foi diferente das outras que já realizamos em Cascavel, os pilotos proporcionaram um ótimo espetáculo para quem assistiu as corridas”, acrescentou.

Scudeler frisou a participação do público. “O grande envolvimento da torcida é outra característica das etapas em Cascavel. Mesmo com um clima pouco convidativo tivemos um público significativo, embora não tenha sido o maior da história”, cita. “A cidade tem uma identificação com o Moto 1000 GP. As empresas locais dão um bom respaldo ao evento, a imprensa local também, e tivemos até seis pilotos da região de Cascavel inscritos”, destaca.

As motocicletas do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade utilizam a gasolina Petrobras Podium e o óleo lubrificante Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da Michelin, fornecedora de pneus a todas as equipes inscritas nas quatro categorias em disputa. O Moto 1000 GP também conta, na temporada de 2015, com o apoio de Beta Ferramentas, Puig, Servitec, LeoVince, Shoei e Tutto Moto.

Deixe seu comentário