quarta-feira, 24 de junho de 2015

GP 600 volta a Goiânia com quatro pilotos de motos Honda entre os seis primeiros

0 comentários
Foto: Rodrigo Ruiz
Terceira etapa coloca invencibilidade de Eric Granado e liderança do Brasileiro de Motovelocidade em jogo no GP Goiânia

  As vitórias de Eric Granado nas duas primeiras etapas da categoria GP 600 no Moto 1000 GP em 2015 serviram para acirrar ainda mais a disputa pela liderança do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. A competição terá sua terceira etapa neste domingo (28) no Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Goiânia, com largada às 12h10 e transmissão ao vivo pelos canais Esporte Interativo e Bandsports, pela Band Internacional e pelo portal Terra.

Granado, que concilia sua primeira temporada no Moto 1000 GP com a atuação na categoria Moto2 do CEV, o Campeonato Europeu de Velocidade, é o líder invicto da competição. Marcou 53 dos 54 pontos possíveis nas etapas disputadas em Curitiba e Cascavel e está 13 pontos à frente do argentino Juan Solorza, inscrito com a Yamaha da Solorza Competición, vencedor da etapa de Goiânia em 2014 e dono de dois segundos lugares na atual temporada.

A primeira etapa, disputada em Curitiba no dia 3 de maio, teve pilotos de três marcas no pódio. Além de Granado, com a Honda, e Solorza, de Yamaha, a premiação contemplou o paranaense Joelsu Mitiko, com uma das Kawasaki da Paulinho Superbikes. Mitiko chegou a liderar a etapa seguinte, mas sofreu uma queda e deixou de pontuar. O pódio cascavelense acolheu como terceiro colocado o carioca Alex Pires, com a Honda da Center Moto Racing Team.

Pires ocupa a terceira colocação no campeonato com 27 pontos e é um dos quatro pilotos de motos Honda apontados entre os seis primeiros na tabela de classificação – os demais são o gaúcho Marciano Santin, da Santin Racing, em quarto com 18, e o paulista Sérgio Laurentys, parceiro de Granado na GST Honda Mobil Super Moto, sexto com 14. Entre eles está Mitiko, com os 17 que somou com o terceiro lugar na abertura do Moto 1000 GP em 2015.

A GP 600 inclui a classe GP 600 Evo, que contempla com classificação distinta os pilotos cujas carreiras estão em fase de ascensão rumo às principais séries da motovelocidade. Santin lidera com 45 pontos, 16 à frente do baiano Marcelo Dias, piloto da Honda da 2MT-PRT. Em terceiro, com 25, empatam o paulista Flávio Pavaneli, com a Kawasaki da Motonil Motors-PDV Brasil, e o paranaense Márcio Bortolini, com a Honda da Mabo Racing.

MOTO 1000 GP – CATEGORIA GP 600
(Classificação do campeonato após 2 de 8 etapas)
1º) Eric Granado (SP/GST Honda Mobil Super Moto), Honda, 53
2º) Juan Solorza (ARG/Solorza Competición), Yamaha, 40
3º) Alex Pires (RJ/Center Moto Racing Team), Honda, 27
4º) Marciano Santin (RS/Santin Racing), Honda, 18
5º) Joelsu da Silva (PR/Paulinho Superbikes), Kawasaki, 17
6º) Sérgio Laurentys (SP/GST Honda Mobil Super Moto), Honda, 14
7º) Ademilson Peixer (PR/RF Racing), Kawasaki, 13
7º) Ian Testa (DF/Motonil Motors-PDV Brasil), Kawasaki, 13
9º) Lucas Bittencourt (PR/Triple Triumpf), Triumph, 11
10º) Márcio Bortolini (PR/Mabo Racing), Honda, 10
11º) Juliano Soder (PR/Soder Racing), Yamaha, 8
12º) Marcelo Dias (BA/2MT-PRT), Honda, 7
13º) Victor Luciano (SP/Walmax Racing), Kawasaki, 6
14º) Douglas Pecoraro (SP/Walmax Racing), Kawasaki, 5
15º) Gregory Alfonso (SP/Walmax Racing), Kawasaki, 3
16º) Sérgio Prates (SP/JC Racing Team), Kawasaki, 2
17º) Ricardo Bruniera (SP/Walmax Racing), Kawasaki, 1

As motocicletas do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade utilizam a gasolina Petrobras Podium e o óleo lubrificante Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da Michelin, fornecedora de pneus a todas as equipes inscritas nas quatro categorias em disputa. O Moto 1000 GP também conta, na temporada de 2015, com o apoio de Beta Ferramentas, MSR Macacões Personalizados, Puig, Servitec, LeoVince, Shoei e Tutto Moto.

Deixe seu comentário