terça-feira, 19 de maio de 2015

Cascavel recebe pilotos e equipes do Moto 1000 GP pela sétima vez

0 comentários
Foto: Equipe Sanderson
Campeonato Brasileiro de Motovelocidade terá corridas da segunda etapa no circuito mais veloz de seu calendário

Quatro semanas depois das corridas acirradas do GP Petrobras, que abriu a disputa no Autódromo Internacional de Curitiba, o Moto 1000 GP terá corridas no circuito de maiores médias de velocidade de seu calendário. O GP Cascavel, segunda etapa da temporada de 2015 do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, confrontará pilotos e equipes de vários países no dia 31 de maio no Autódromo Internacional Zilmar Beux.

Será a sétima edição de uma etapa do Moto 1000 GP na pista de 3.058 metros de Cascavel. As duas primeiras consolidaram rodada dupla no dia 4 de novembro de 2012, valendo pelas quinta e sexta etapas. O argentino Leandro “Tati” Mercado venceu as duas provas da categoria GP 1000. Seu compatriota Adrian Silveira ganhou as duas da GP 600. Os paulistas Nick Iatauro e Lucas Barros revezaram os primeiros lugares da GP Light.

O Brasileiro de Motovelocidade de 2013 teve duas etapas em Cascavel. A quarta, no dia 25 de agosto, registrou vitórias do paranaense Diego Faustino na GP 1000, do gaúcho Rafael Bertagnolli na GP 600 e dos paulistas Renato Andreghetto e Ígor Calura na GP Light e na GPR 250. Na oitava etapa, em 1º de dezembro, os vencedores foram os argentinos Diego Pierluigi e Sergio Fasci, Andreghetto e o gaúcho Pedro Sampaio, respectivamente.

Cascavel também recebeu o Moto 1000 GP duas vezes no ano passado. A quarta etapa, no dia 31 de agosto, teve duas vitórias de pilotos paranaenses: Wesley Gutierrez, na GP 1000, e Joelsu “Mitiko” Silva, na GP 600. O argentino Nicolas Tortone ganhou na GP Light. A GPR 250 teve duas corridas: uma foi válida pela etapa cascavelense; outra repôs prova suspensa da etapa anterior. As vitórias foram do paulista Meikon Kawakami e do goiano Brian David.

O Moto 1000 GP encerrou sua temporada em Cascavel pelo segundo ano consecutivo, no dia 14 de dezembro. Tendo em disputa o GP Petrobras, a etapa foi marcada pela coincidência estatística de todos os pilotos vencedores conquistarem os títulos brasileiros de sua categoria. Os vitoriosos e campeões foram o francês Matthieu Lussiana, na GP 1000; Nicolas Tortone, na GP Light; o uruguaio Maximiliano Gerardo, na GP 600; e Kawakami, na GPR 250.

As motocicletas do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade utilizam a gasolina Petrobras Podium e o óleo lubrificante Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da Michelin, fornecedora de pneus a todas as equipes inscritas nas quatro categorias em disputa. O Moto 1000 GP também conta, na temporada de 2015, com o apoio de Beta Ferramentas, Puig, Servitec, LeoVince, Shoei e Tutto Moto.

Deixe seu comentário